quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Silêncio

E o silêncio tem o dom de nos impulsionar numa grande introspecção aos sentimentos, aos desejos mais profundos e aos medos outrora escondidos e agora revelados.
É o silêncio que baixa as guardas, é o silêncio que abre as portas aos nossos próprios mistérios interiores, às nossas dúvidas e fraquezas, deixando-nos vulneráveis a tudo isso que nos afecta. É exactamente no silêncio que a nossa mente está mais poderosa e grita aos quatro ventos, só que apenas nós conseguimos ouvir o pedido de ajuda e isso enfraquece-nos pois começa a ser demais. A rotina abalroa-nos impetuosa e sem dó não mostrando quaisquer sinais de querer desistir de nos assomar e nós temos de nos fazer guerreiros da vida e contra-atacar.
Muitas das batalhas que travamos e iremos travar, é contra nós mesmos e apenas nós. E o nosso lado positivo tem que ganhar, não podemos desistir de nós porque há sempre um amanhã que será melhor. É nisso que temos de acreditar porque nada dura para sempre, a vida é efémera e nós só temos uma.
Isto parece inspirador mas aqui no meio do nada e de tudo, voando por entre memórias e sentimentos, um vazio faz-se sentir e eu ainda não descobri porquê. Eu não sei onde mais pôr a esperança de dias resplandecentes e é triste eu não conseguir fazê-lo em mim, pois era assim que devia ser. Sei que devia ser eu a iluminar-me e fazer-me feliz, em todos os momentos e a toda a hora, pois no fim do dia só cá estou eu.
Eu e o silêncio.

2 comentários:

lu de lúcia disse...

muitas vezes também estou assim: eu e o silêncio :D

lu de lúcia disse...

eu gosto do meu silêncio, de estar sozinha do que o silêncio me dá e faz pensar :$